ESTIMULANDO ATRAVÉS DO LÚDICO

15/08/2011 13:17

Os jogos e brincadeiras são instrumentos lúdicos formidáveis quando utilizados de acordo com a faixa etária (quadro 1), pois muito contribuem durante a estimulação da criança, além de favorecer uma relação saudável entre família e a mesma, pois são atividades que proporcionam satisfação. (BATISTA t al., [S/D[).

 

Quadro 1 – Brinquedos indicados para cada faixa etária

 0 a 5 meses

Chocalhos, brinquedos musicais, mordedores, móbiles, bolas com texturas diferentes para serem agarradas com as duas mãos.

6 meses a 1 ano

Brinquedos flutuantes (patinhos de borracha que bóiam na água), caixas ou brinquedos que se encaixam uns dentro dos outros, argolas empilháveis, brinquedos para martelar, empilhar e desmontar, brinquedos eletrônicos de aprendizado, telefone de brinquedo, espelhos, brinquedos que emitem sons por meio de botões de apertar, girar ou empurrar.

1 a 2 anos

Brinquedos de variadas texturas (estimulam os sentidos da visão, da audição e do tato), bonecas de tecido e bichos de pelúcia feitos de materiais atóxicos, livros e álbuns de fotografia com ilustrações dos familiares e objetos conhecidos, brinquedos de empurrar ou puxar, brinquedos de montar e desmontar. É fundamental que os brinquedos sejam atóxicos.

2 a 3 anos

Bolas, muitos blocos de brinquedos para empilhá-los e colocá-los dentro de caixas, brinquedos de encaixar e desmontar, brinquedos musicais, carrinhos, bonecas, cavalinho de balanço, brinquedos para praia ou piscina, brinquedos de equilibrar um em cima do outro. Este é o momento de ensinar a criança organizar e guardar os brinquedos.

Fonte: http://www.estimulando.com.br/brinquedos.htm

 

                                A intervenção focada na habilidade de brincar é sugerida para a criança que apresenta um repertório pobre de habilidades que podem comprometer o desempenho da mesma. A literatura associa o brincar com habilidades motoras, função psicossocial, desenvolvimento de capacidade de escolha e resolução de problemas, criatividade, auto-expressão, cognição entre outros (REZENDE, 2008, p. 38).

                          Estimular é mostrar à criança que ela é capaz, não importando seu ritmo. Para os pais as palavras de ordem são: paciência e persistência.  É preciso destacar que a criança deve ser vista como um todo, além da estimulação motora, devem ser realizados estímulos visuais, auditivos, labirínticos, sempre sob orientação profissional. As atividades devem ser realizadas sempre de forma lúdica, pois o brincar faz parte do desenvolvimento infantil (BRITO). 

 

(Monografia Fisioterapia: Orientações às famílias de crianças com Síndrome de Down de 0 a 3 anos - Daniele Biguelim)